6 DICAS PARA VIVER MELHOR

I – Se ame, porque só assim pode-se amar verdadeiramente o outro.

Desde pequenos, deveríamos aprender a nos amar, para sermos pessoas que amam. Que não tem medo desse sentimento. Que tem empatia por quem passa pela nossa vida, com quem dividimos a casa, o trabalho e a mesa do bar. É que, a gente não entendeu ainda, mas é só o amor que vai salvar o mundo. Quando as diferenças forem pequenas e o respeito for verdadeiro, aí sim, estaremos no caminho certo.

II – Seja livre.

Quando entendermos que liberdade é necessário, a liberdade de expressar ideias, sabendo que há pessoas que pensam diferente e não tem problema. Não tem porque sair desfazendo amizades no Facebook por isso. Precisamos entender que extremismo não leva a lugar algum. Quando a gente é livre, não precisa ficar provando o tempo todo nossa crença, nosso amor, a política, nem se o juiz no futebol foi injusto ou não. Coisas simples, são apenas simples. E as complexas, sabemos como expressá-las sem querer incuti-las a quem pensa diferente.

 

III – Conheça quem você é, bote fé e sonhe.

E que sonhar nos faz chegar longe, porque sonhos são mediadores do viver bem. São pequenas formas de motivação. E nós, humanos, precisamos ser motivados para conquistarmos o mundo. Uma vida muito monótona, sem emoções – mesmo que pequenas, faz com que viver perca a graça. Afinal, os problemas e os boletos sempre batem a porta. E sonhar, nunca é demais.

 

IV – Se escute, para se respeitar e viver o presente.

Sem contar que, a vida é real, e só passar por ela é cruel. Aprender a aproveitar o tempo e a viver o agora é fundamental. O agora não está nos infinitos Stories que fazemos no Instagram, nem nas reuniões com os amigos em que só falamos do que já passou. O agora está na atitude de estar em casa e esquecer o celular porque aquele ambiente te preenche e te dá paz. Está na mesa do bar dando risada das piadas que surgem no momento. É no domingo, no almoço em família, em saber sentir o sabor da comida e agradecer pela barulheira que todos estão fazendo. E enxergar que há muita vida além da tela de um smartphone.

 

V – Não há verdades absolutas, não seja a pessoa que espera que todo mundo faça ou aja do jeito que você acha que tem que ser.

E que, não menos importante, abrir a mente, faz parte de um viver mais leve. Porque livra-se das cobranças desnecessárias. Aprende-se a ouvir o outro, não só escutar – ouvir é processar aquilo que está sendo falado, entender, enquanto escutar é só receber de um lado e descartar do outro. Abrindo a mente os julgamentos diminuem, porque, no final das contas, cada um tem uma história para viver e não há receita pronta para ser feliz. O amadurecimento só acontece quando nos abrimos e enxergamos que não há verdades absolutas.

 

VI – Não se cobre tanto, ser forte o tempo todo não é obrigação para ninguém, ser mais gentil com você mesmo, sim.

Há verdade em “gentileza gera gentileza” e isso só pode começar e se concretizar, se tornar nosso, se praticarmos com a gente mesmo. Se ouvirmos nossos medos e tomar decisões a partir de vê-los. De reconhecer nossas fraquezas e não ter medo delas, afinal, ninguém é de todo uma fortaleza impune as desgraças da vida. Não é nossa obrigação criar máscaras que soam algo que não somos. Permita-se a leveza de se ouvir, se entender, se encarar e não se abandonar.

 

E a vida, ah, ela vai continuar rolando. Continuar pregando peças, trazendo e levando pessoas e situações. Buscar melhorar é ir de encontro ao amadurecimento. Não estamos prontos, não caia nessa armadilha.

 

assinatura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s