Ansiedade, quem nunca?

Ansiedade, quem nunca ouviu falar, ou sequer experimentou que atire a primeira pedra. Durante muito tempo estive a sombra deste sentimento, que ora é angustia, noutra aceleração, mas que nunca é tranquilidade. Ficava ansiosa por coisas pequenas e isso fazia com que me sentisse fora de mim. Acontecia por querer resolver rapidamente qualquer situação, por saber que não dependia só do meu empenho e algumas vezes por medo. E um dia aconteceu, percebi que era possível controlar esse misto de sentimento que agita, desnorteia e traz preocupação desnecessária. Foi só assim que o estômago parou de sofrer tanto e o coração parou de ter pequenos ataques cardíacos.

Há solução para quase tudo e aprender a sair da agitação não me exime dela, então me restou escolher entre ter uma vida mais calma – mesmo que levasse um tempo, ou continuar tendo crises de ansiedade. E aí vem o clichê – a vida é aprendizado a todo momento e nada vale uma dor de cabeça se posso resolver meus perrengues com calma e paciência. Ok, não sou a pessoa mais paciente do mundo e óbvio, isso dificulta o processo, mas a prática leva a perfeição, então continuo persistente em busca de uma vida mais tranquila. Até porque antecipar na minha cabeça a situação, não faz com que aconteça como imagino, pelo menos ainda não encontrei quem seguisse todo o meu script, acredito que você também não.

Por isso, quando a ansiedade bater na minha porta, vou dizer a ela “Calma lá, querida, não pira”, talvez ela sorria comigo e sossegue, essa louca.

 

beijo beijo,

Laura Aquino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s