Lidos no primeiro semestre de 2017

Livros lidos no primeiro semestre de 2017.

  1. Não se apega, não;
  2. Não se iluda, não;
  3. Não se enrola, não;

Isabela Freitas conta a história de Isabela, personagem fictícia que vive histórias de amor e desilusão, que busca se encontrar naquilo que gosta de fazer e vai atrás de seus sonhos. Passa por perrengues que a fortalecem e inspiram para continuar contando sobre sua vida. É uma sequência que une aquilo que faz parte da vida de todo mundo e comédia, que se dão aos acontecimentos engraçados. Isabela prega o desapego de tudo aquilo que faz mal, daquilo que te prende de não ser feliz. De rápida e fácil leitura.

  1. Por Onde Andam as Pessoas Interessantes;
  2. Depois do Fim;

Daniel Bovolento é o escritor dos dois livros acima, que são contos de amor, de dor e sofrimento. De reconhecimento de que cada relação deixa marcas e em como elas interferem em quem nos transformamos. Toca o coração em diversos momentos. De rápida e fácil leitura.

 

Isabela Freitas e Daniel Bovolento entraram em minhas leituras por serem jovens e brasileiros que se destacaram no mercado editorial. E é muito bom poder conhecer o trabalho, a escrita e a arte de pessoas que dividem território com a gente ;).

 

  1. O Teorema de Katherine;

John Green me convenceu a ler este livro pelo curioso fato de que Colin, personagem principal, ter se apaixonado dezenove vezes por meninas chamadas Katherine. Ele é um garoto inteligente, que teima em bater na mesma tecla. E que ao perceber tal padrão, fica tentado a desenvolver um teorema que possa mostrar a duração dos relacionamentos. É engraçado, de fácil leitura e curioso. Vale a leitura.

  1. As Vantagens de ser Invisível

Stephen Chbosky conta a história de Charlie, um garoto que passou por alguns traumas na infância que o acompanham até os dias em que resolve escrever um diário contando as experiências pelas quais ele passa em seu primeiro ano do ensino secundário. Fala de alguns assuntos tabus para a sociedade de uma forma leve e de fácil entendimento. Além de citar obras literárias e boas músicas, Charlie nos convida a participar do seu mundo para poder entendê-lo e amá-lo,  o que não é difícil. Fácil e envolvente leitura.

  1. Os Treze Porquês

Escrito por Jay Asher, conta história de Hannah Baker que grava fitas contando os motivos pelos quais se matou. A garota sofre vários abusos, são eles verbais, sexuais, psicológicos, e algumas pessoas são determinantes para o andamento da trama. Que se tornou série e vem trazendo debates sobre suicídio em todo o mundo.

 

Laura Aquino

 

Foto: We Heart It

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s