Reticências

Um pedaço de papel,
sombreado.
Um pedaço de metal,
enrolado.

Uma folha de outono,
caída.
Uma ausência,
recolhida.

E por toda vida,
a velha lembrança;
ou vaga lembrança,
do passado presente a torturar.

Dias escuros
entram em contraste
com os dias de sol
e calor.

A noite que a hora é cruel,
também serve para acolhimento.
Esconder-se debaixo do cobertor,
e chorar para o travesseiro.

Desejo de amador,
o velho sábio já sabe;
que o tempo e,
a vontade deveras são verdade.

Laura Aquino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s